Suco de uva, um verdadeiro combustível para esportistas


Nos últimos dez anos, uma série de pesquisas científicas atestaram os benefícios da bebida à saúde, inclusive a quem pratica atividades físicas

FOTO/ Arte Cartilha Ibravin/ Agência Dharma

Que a uva e seus derivados fazem bem para a saúde, nós, apreciadores de vinhos, já sabemos. Inúmeros estudos científicos realizados no mundo todo já comprovaram os diversos benefícios que o resveratrol, e outros compostos presentes na fruta e nos produtos elaborados com ela, trazem àqueles que os consomem. Benefícios esses que vão desde a prevenção de doenças cardiovasculares, a melhora da cognição, da memória, até a redução de danos oxidativos provocados pelos radicais livres, desacelerando, assim, o processo de envelhecimento celular.

Um dos derivados da uva mais apreciados e consumidos no Brasil é o suco de uva. Considerado antioxidante por conter uma grande quantidade de polifenóis, segundo as pesquisas, a bebida ajuda no funcionamento do organismo, além de possuir atividades antimutagênica, anticarcinogênica (proteção contra tumores, por exemplo) e antiaterogênica (prevenindo doenças do coração), entre outras. “A uva transfere a seus derivados uma série de polifenóis, entre eles os flavonóides, como catequina, epicatequina, proantocinidinas e as antocianinas, e os não flavonóides, com destaque para o resveratrol”, explica a biomédica, mestre e doutora em Biotecnologia e pós-doutora pela Georgetown University Medical Center, Caroline Dani.

Por ser uma bebida energética, que auxilia na recuperação do cansaço muscular e na reposição de sais minerais no organismo, o suco de uva 100%, ou seja, a bebida que utiliza na sua elaboração apenas a fruta, sem adição de açúcar ou água, vem ganhando espaço na dieta de atletas e praticantes de exercícios físicos. Nos últimos dez anos, diversas pesquisas realizadas comprovaram os benefícios dessa bebida quando consumida por esportistas.

As pesquisas comprovam

Uma das pioneiras nos estudos do suco de uva, a professora e coordenadora do programa de pós-graduação em Gerontologia da Universidade Federal de Santa Maria (RS) e pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), Dra. Ivana Mânica da Cruz, que estuda os efeitos dos frutos e outros alimentos na saúde e na longevidade, destaca que pesquisadores espanhóis e brasileiros realizaram dois grandes trabalhos científicos na Universidade de León, na Espanha, envolvendo o suco de uva 100%.

Um deles, publicado em 2005, mostrou que atletas de ciclismo que consumiram a bebida obtiveram uma diminuição de 29% dos marcadores de estresse oxidativo em relação aos que não foram suplementados com a bebida à base de uva. “Após a retirada de sangue, todos consumiram um copo de suco de uva tinto, cerca de 300ml. Uma hora depois, com base na análise de diversos parâmetros, já era possível perceber a atividade antioxidante do suco no organismo dos indivíduos”, cita Ivana.

O outro estudo do mesmo grupo, de 2013, foi realizado com camundongos e mostrou que o suco de uva protegeu os animais do efeito exaustivo do exercício. “Esse trabalho utilizou 16 animais machos, de três meses de idade, que foram divididos em quatro grupos. Um deles foi submetido a exercícios físicos, o outro fez exercício e consumiu suco de uva, o outro não praticou exercício e consumiu o suco de uva e o quarto não fez exercício e nem consumiu suco. Logo após o exercício, evidenciou-se que os animais que consumiram o suco apresentaram um estresse oxidativo menor do que o do grupo de controle, ou seja, obtiveram melhores resultados do que os que não fizeram nenhum exercício. Isso foi observado em diferentes partes do cérebro e do sangue dos animais, o que demonstra um efeito sistêmico benéfico para o organismo do indivíduo”, pontua a especialista.

Com base nos diagnósticos clínicos, a pesquisadora acredita que, por ser uma bebida muito energética, rica em frutose, o suco de uva 100% é um excelente pré-treino, que proporciona mais energia e ajuda a reverter o estresse oxidativo causado pelo exercício físico. A especialista destaca que se consumida até uma hora depois da atividade física, a bebida também apresenta resultados satisfatórios.

Efeito ergogênico

No caso de atletas, estudos mostram que o suco age como um ergogênico, ou seja, promove mais energia e recupera melhor as fibras musculares. Um dos trabalhos pioneiros, feito pela na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) com triatletas da Marinha, mostrou que a circulação periférica dos indivíduos que eram expostos a atividades físicas intensas, e que consumiam suco de uva, era melhorada em termos de nutrição muscular. O estudo analisou um grupo de dez atletas masculinos de elite. Por 20 dias eles consumiram 300ml de suco de uva, sendo a metade antes do treino e a outra depois do exercício. O estudo concluiu que os atletas apresentaram melhora considerável da capacidade antioxidante, circulação sanguínea e tiveram redução do cansaço. “Sabe-se que se tivermos uma nutrição melhor após o exercício físico teremos menos formação de lactato, que é um produto derivado do ácido lático, que se forma quando há redução de oxigênio na musculatura. Então, percebeu-se que indivíduos que consumiam suco de uva tinham menos dor e se recuperavam muito mais rápido do treinamento”, explica Caroline Dani.

Outro trabalho mais recente, de 2015, realizado na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa, avaliou o potencial ergogênico do suco de uva em alternativa aos suplementos esportivos. Esse projeto faz parte de uma linha de pesquisas que estuda alimentos in natura que podem melhorar o desempenho do atleta. “Sabemos que o treinamento físico gera um estresse oxidativo. Então, sendo a uva um alimento com grande potencial antioxidante, por causa dos polifenóis e do resveratrol, acreditávamos que ela poderia ter um grande efeito ergogênico para esportistas. Com base nisso, realizamos um estudo com corredores recreacionais para atestar essa hipótese”, explica o orientador da pesquisa, o doutor em Ciências da Motricidade Humana e coordenador dos cursos de mestrado e doutorado em Educação Física e em Ciência da Nutrição, da UFPB, Alexandre Sergio Silva.

O trabalho selecionou 28 indivíduos, de ambos os sexos, que foram divididos em dois grupos: um de controle e outro experimental. O grupo experimental ingeriu diariamente 10ml de suco de uva tinto integral para cada quilograma do seu peso corporal, pelo período de 28 dias. O grupo de controle recebeu uma bebida isocalórica, isoglicêmica e isovolumétrica, também por 28 dias. Ambos aliaram a ingesta das bebidas os exercícios físicos regulares. O resultado, conforme aponta o professor, revelou que o grupo que consumiu suco de uva teve um ganho de 15% no tempo de corrida até à exaustão, passando de 89 minutos no início para 102 minutos.

A pesquisa avaliou, ainda, elementos ligados ao estresse oxidativo. Conforme o professor, o grupo experimental teve aumento significativo no total de antioxidantes, vitamina A e ácido úrico. Em contraste, nenhuma alteração significativa ocorreu em qualquer uma dessas variáveis no grupo de controle. “Nesse teste, chamado de ‘Capacidade Antioxidante Total’, percebemos que os atletas que consumiram o suco de uva tiveram uma capacidade antioxidante muito melhorada em relação ao grupo controle. Além da capacidade antioxidante, também percebemos a diminuição da inflamação sistêmica, que é o processo inflamatório subagudo acumulado ao longo dos treinos”, detalha Silva.

Quantidade indicada

Já foi comprovado cientificamente que o suco de uva faz bem para a saúde e que pode ser consumido por pessoas a partir dos seis meses de idade. Estudos afirmam que 500ml (em torno de dois copos) é capaz de suprir em 100% a necessidade diária de ferro, manganês, cobre e zinco. Esses minerais também ajudam na produção de células vermelhas, relacionadas diretamente com a prevenção da anemia.

Caroline Dani destaca que a última orientação da Academia Norte Americana de Pediatria diz que adultos e crianças deveriam consumir cinco porções de frutas ao dia. Porém, sabendo da dificuldade em cumprir isso, recomendam o consumo de suco 100% como alternativa para suprir essas cinco porções. “O texto diz, inclusive, que avaliações indicam que crianças que consumiram suco 100% tiveram uma ingesta maior de vitaminas e minerais e não tiveram aumento de peso, pelo contrário, obtiveram diversos benefícios por terem ingerido o suco de fruta”, aponta a especialista.

Conforme a nutricionista clínica e esporti