Azeite de oliva e os benefícios para a pele



Bruna Vidor e Souza

@olivalsantoantonio

Além de ser um alimento funcional, com inúmeros benefícios ao corpo quando ingerido, o azeite também é um excelente ingrediente de uso cosmético, principalmente na rotina de cuidados com a pele, conhecida como skincare. As mesmas substâncias responsáveis por todos os aromas e sabores positivos do azeite são também as que agem na nossa saúde, e esse é um conhecimento milenar.


Na Grécia antiga, era costume untar o corpo com azeite para purificar a pele, removendo pó e suor, hidratá-la, protegê-la e, segundo Homero em Ilíada, “emular a eletricidade radiante de uma estátua ou um deus”. Os romanos também incorporaram esse hábito, assim como os egípcios. Cleópatra era fã e usava azeite em abundância para cuidar de sua beleza e juventude. Hoje a ciência comprova o que os povos do Mediterrâneo já sabiam há muito tempo.


Uma das primeiras coisas que pensamos quando se fala em skincare é minimizar o envelhecimento da pele, o qual traz danos estruturais e funcionais, fazendo com que ela perca elasticidade, fique mais fina e perca a capacidade de combater e reparar esses danos. Os ácidos graxos que compõem o azeite têm um perfil lipídico muito similar ao da nossa cútis, além da riqueza em antioxidantes, fazendo do seu uso uma forma natural e hipoalergênica de estimular a regeneração celular e a deposição de colágeno, o que reduz o tempo necessário para a regeneração da pele danificada. O FDA (Food and Drug Administration, órgão regulador das indústrias farmacêutica, alimentar e cosmética dos Estados Unidos) classificou o azeite como ingrediente cosmético de baixo risco por não ser irritante dérmico.


Se você usa ou pelo menos já observou as embalagens de produtos anti-idade, já viu algumas destas substâncias nos seus rótulos: vitamina E, vitamina K, esqualeno, tocoferol, ômega 9, ômega 6, ômega 3, vitamina A e carotenoides. Pois adivinha só: o azeite tem todas elas! Essas substâncias são famosas por suas ações emoliente (retentor da umidade natural da pele) e antioxidante. Além delas, o azeite tem diversos outros biofenóis, dentre eles o oleocantal, que também têm um importante papel nas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e antibacterianas do azeite. E o melhor: todas essas substâncias agem tanto de fora para dentro quanto de dentro para fora!

Antioxidantes

E qual a importância dos antioxidantes aqui? Bem, o envelhecimento se dá pela ação dos radicais livres que oxidam. Os antioxidantes, como o próprio nome diz, combatem essa oxidação. Um grande acelerador dos radicais livres da nossa pele é o sol, com seus perversos raios ultravioleta. Embora a composição do azeite esteja longe de servir como fator de proteção à intensidade da radiação a que estamos expostos hoje (por favor não o usem como óleo para bronzear sem um filtro solar junto!), ele é excelente para aliviar queimaduras após aquele descuido na praia ou no parque e acelerar a regeneração da pele irritada e fragilizada. Para quem gosta da pele bronzeada, os carotenoides auxiliam na pigmentação e uniformização da pele, trazendo um tom dourado mesmo sem exposição ao sol. Aliás, essa é outra coisa que os gregos já sabiam.


Esses mesmos antioxidantes também tornam o azeite um aliado no tratamento de psoríase e eczemas. Após estudos em universidades espanholas, hospitais da Espanha passaram a usar azeite nos curativos de úlceras de pressão (também conhecidas como escaras) em pacientes imobilizados, por sua ação antibacteriana, anti-inflamatória e restauradora.

Os ácidos graxos que compõem majoritariamente o azeite são o ácido oleico (ômega 9), o ácido linoleico (ômegas 6 e 3) e o ácido palmítico. Eles são considerados óleos de textura fina, que são absorvidos rápida e profundamente pela pele e não obstruem os poros. Essas substâncias, em combinação com o esqualeno, que retém a umidade natural da pele, fazem do azeite um ótimo recurso para hidratação. Somando-se a isso tudo a ação antibacteriana e adstringente dos biofenóis, o azeite é também recomendado na redução da acne e da caspa, por mais surpreendente que seja o fato de um óleo ter essas propriedades. Obviamente, o uso deve ser em quantidades muito pequenas – duas gotas para todo o rosto são mais que suficientes – e é contraindicado para peles oleosas; quantidades excessivas não são absorvidas e acabam entupindo os poros.

Ótimo lubrificante

Quem faz a barba ou depilação com lâmina se beneficia duplamente com o azeite: ele é um ótimo lubrificante que ajuda numa passada mais rente da lâmina sem machucar, e é um excelente calmante para a pele que fica sensibilizada.

Azeite tem uma composição absolutamente adequada para a remoção de maquiagens à prova d’água. Seus ácidos graxos dissolvem as ceras desses produtos e seu