Bon Vivant apresenta guia com 146 opções em espumantes brasileiros



Andréia Debon - andreia@bonvivant.co.br


A qualidade dos espumantes brasileiros só cresce. E isso não é mais novidade. O estilo de vinho ganha a taça dos brasileiros, e é destaque em concursos internacionais. Exemplo disso foi um espumante do Vale dos Vinhedos que chamou a atenção do mundo em um dos principais concursos de vinhos, o 26º Vinalies Internationales, que aconteceu na França em março deste ano. Nesse concurso foram avaliadas 3.500 amostras por um júri internacional formado por 130 degustadores de 40 países. E em pleno país do Champagne, o Troféu Vinalies na categoria espumante foi para o Casa Valduga 130 Blanc de Blanc.


As características singulares conferidas pelos diversos terroirs brasileiros na elaboração de espumantes têm se tornado fundamentais para o sucesso dos rótulos em concursos internacionais. Nos últimos anos, a maior parte das medalhas do Brasil em competições vinícolas foram conquistadas pela bebida. As distinções chancelam a qualidade para consumidores dentro e fora do país, alavancando negócios e repercutindo no campo, com aumento de cultivo das variedades utilizadas na elaboração de espumantes.


Segundo o presidente da Associação Brasileira de Enologia – gestão 2021/2022, André De Gasperin, o espumante brasileiro chama atenção dos estrangeiros porque é bastante versátil. “Temos desde produtos jovens, leves e frescos até espumantes com um tempo de cave e maturação sobre as borras, os quais lhe conferem características mais complexas. Sem falar dos moscateis, que a cada ano se destacam e são case de qualidade”, explica De Gasperin. E completa: “Quando se fala em qualidade dos vinhos brasileiros podemos afirmar que evoluímos 100 anos em 10 anos. E a evolução aconteceu tanto nos vinhedos quanto no processo de elaboração da bebida, e foi se refletindo na taça.


“Hoje o consumidor brasileiro, sem dúvida nenhuma, prefere o espumante daqui por vários motivos. Primeiro porque tem frescor e um ótimo equilíbrio acidez/açúcar. E isso vem ao encontro do clima do Brasil, que na maior parte é tropical”, explica o enólogo Edegar Scortergagna, que neste ano foi escolhido Enólogo do Ano pela Associação Brasileira de Enologia. “Nosso terroir tem muita qualidade e, com isso, temos condições de produzir espumantes que estão entre os melhores do mundo, sejam eles elaborados pelo método Charmat ou Champenoise. Tudo isso se atribui a alguns fatores, principalmente a expertise, a maturidade enológica, a evolução do viticultor, a escolha das variedades certas, aos investimentos feitos nas vinícolas e a geração nova de enólogos. Daqui para frente só tende a crescer”, completa Edegar.


Uma amostra do que os consumidores encontram no mercado

Quando se fala em espumantes a Serra Gaúcha é destaque. Mas outras regiões do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina vêm chamando a atenção pela qualidade de suas borbulhas. Com o objetivo de ampliar a divulgação do espumante brasileiro e orientar o consumidor sobre novos produtos e vinícolas, a Bon Vivant organizou o guia a seguir. É uma amostra do que o consumidor pode encontrar no mercado. Os produtos foram enviados pelas vinícolas à convite da Bon Vivant e foram degustados às cegas pela equipe da revista/portal. A Bon Vivant acredita que é por meio de guias como este que o consumidor conhece a diversidade dos espumantes brasileiros e a quantidade de vinícolas que elaboram este produto tão reconhecido e delicioso. Confira clicando na imagem abaixo:




0 comentário