top of page

Já se hospedou em uma cabana? Confira 6 opções em Flores, na Serra Gaúcha



Camila Baggio, especial para Bon Vivant


Até pouco tempo atrás quando se pensava em onde se hospedar durante uma viagem, as opções limitavam-se aos hotéis. Com o passar do tempo, as casas e apartamentos surgiram como opções de hospedagem alternativa, mostrando-se, inclusive, tão ou mais confortáveis, funcionais e acessíveis aos visitantes.

Hoje em dia estão à disposição dos viajantes acomodações das mais diversas possíveis , que vão desde contêineres até casas na árvore. Apostas que levam o conforto da vida urbana à hospedam na natureza, num movimento impulsionado pós-pandemia e que chegou até mesmo a cidades do interior.

A jornalista Camila Baggio, colaboradora da Bon Vivant, nos dá algumas dicas desse tipo de hospedagem. Todas elas ficam em Flores da Cunha, um dos destinos de enoturismo que mais vem crescendo no Brasil e que oferece aos visitantes diversos roteiros.


Cabana Solena | @cabana_solena (foto acima

Participante do prêmio Building of the Year 2023 pelo ArchDaily, a Solena fica em uma propriedade com mata nativa e riacho que emolduram o nascer do sol. A cabana conta com cozinha e utensílios básicos para fazer desde um bom café até um churrasco. Fogo de chão e bancos completam o externo e há um banheiro anexo.


ARAU – Cheiro de Mato | @arauhospedagens

Com 71m² de área interna e externa, o arquiteto Saymon Dall Alba conta que a construção foi, literalmente, encaixada entre as árvores. Possui cozinha, lareira, banheira de hidromassagem, ar-condicionado, TV para ser aproveitada da cama ou da banheira e um deck com vista para um lago e pátio com fogo de chão e sofás. O local é pet-friendly e cercado. Uma das curiosidades da ARAU é que, ao lado da cabana, uma araucária que tem entre 300 e 500 anos pode ser visitada pelos hóspedes.


Pousada Casa Dal Bó | @casa.dalbo

Aqui a arquitetura ganha ares industriais com a utilização de contêineres como estrutura. São duas acomodações: o Container Figo e o Abóbora, ambos equipados com cozinha, lareira a lenha e ofurô. São compactos e confortáveis, com muita natureza para contemplar. A propriedade tem 120 mil m² onde o visitante pode colher frutas direto do pé, pescar e provar as chimias.


Chalés Lua Cheia e Lua Nova | @cheles.luacheiaenova


O chalé que inicialmente seria particular revelou oportunidade ao profissional de comércio exterior Julio Cesar Corso. “Visitando outros municípios percebi que conseguir um fim de semana em um chalé é disputado. Vi que as pessoas dão valor para ter uns dias de descanso. O primeiro chalé foi um sucesso e aí veio o segundo”. Hoje são duas acomodações completinhas, a Lua Nova com arquitetura mais moderna, mas construída também por Julio e o pai. Possuem cozinha, lareira, banheira de hidromassagem e espaços para uma estadia de natureza e romantismo – são oferecidos inclusive pacotes românticos.


Clareira Cabana | @clareiracabana

Deixar a vida mais simples. Assim é a Clareira, construída em meio a mata nativa, com vista para o vale e rodeada por vinhedos. Fica em uma propriedade de 180 mil m² e a proprietária Larissa Monego conta que o local foi construído em 2022. “O objetivo foi de proporcionar uma conexão profunda com a natureza, sentir-se vivo e pulsante. Um refúgio para acalmar o coração e apreciar o lado selvagem e ancestral que vive dentro de cada um de nós”. A Clareira possui 35m² com cozinha completa, lareira, fire place, chuveiro externo para dias de calor e acesso a um rio.


Kaeru Cabana | @kaerucabana

Opção para quem quer ir com a família, a Kaeru acomoda até oito pessoas. São 140m² divididos em dois pavimentos, com sala, cozinha, churrasqueira e home office, três dormitórios e ofurô. No gramado, mesas e bancos para piquenique e vista para um lago. A arquiteta Viviane Pradella explica que Kaeru em japonês significa ‘retornar’. “Sair da rotina, um bate e volta de poucos dias para recarregar as energias. É um espaço perfeito para acomodar grupos de amigos e família”.

FOTOS/DIVULGAÇÃO

0 comentário

コメント


bottom of page