Sicília: conheça as características dos vinhos da maior ilha do Mediterrâneo

 A Sicília é uma ilha, a maior do Mediterrâneo, separada da Itália pelo Estreito de Messina, e composta por nove províncias: Palermo (a capital), Catania, Siracusa, Agrigento e Taormina, muito conhecidas e procuradas pelos turistas, Caltanissetta, Enna, Messina, Ragusa e Trapani. Possui cerca de cinco milhões de habitantes, sendo que a capital possui 1,2 milhão, o que significa ser a quinta maior cidade italiana. 

 

 

Com áreas montanhosas e acidentadas, os solos da região italiana são pobres e localizam-se em encostas com ótima incidência de raios solares. Já o clima apresenta-se com verões intensos e baixa quantidade de chuva, o que torna a região ideal para que as videiras alcancem o ápice de sua qualidade. Com mais de 100 mil hectares plantados de videiras, a Sicília é a maior fonte de vinhos de toda a Itália, com a impressionante produção de mais de 500 milhões de litros anuais. São 23 Denominação de Origem Controlada (DOC), 1 Denominação de Origem Controlada e Garantida (DOCG - Cerasuolo di Vittoria – vinho tinto) e 7 Indicações Geográfica Típica.

 

Os vinhos sicilianos têm se destacado mundo afora. E o que estamos assistindo é o renascimento de uma região que até poucos anos atrás era conhecida somente pela quantidade e não pela qualidade dos vinhos. A história e trajetória da bebida nessa parte extrema do Sul da Itália são antigas, e para entendermos melhor é preciso voltar 3,5 mil anos no tempo e nos remetermos à época dos antigos gregos e a fundação das cidades de Siracusa e Agrigento. Foi nessa época que os colonos se instalaram na costa, trazendo suas vinhas e as plantando junto a outras espécies nativas. Nascia ali a história os primeiros vinhos italianos.

 

 Na Sicília, o terroir propenso tem apresentado ao mercado vinhos intensos, concentrados e com explosão de fruta. Na parte oriental da ilha concentra-se a produção dos tintos, com destaque para a região do imponente Vulcão Etna e suas constantes erupções. É na região do entorno do Etna que atualmente estão plantadas, a mais de três mil metros de altitude, algumas das melhores vinhas da Itália. Na parte ocidental, nos entornos de Palermo, além da província de Trapani e Agrigento, dominam os vinhos brancos.

 

 

A exemplo de outras regiões italianas, como a Campania, a Sicília também se destaca pela quantidade e variedade de cepas A Nero d’Avola (foto acima), que origina um dos tintos mais famosos e conhecidos do Sul da Itália, reina entre as tintas, originando vinhos com aromas intensos, que podem ser elaborados como varietais ou em cortes, o que normalmente acontece. Há outras tintas de destaque, como a delicada Nerello Mascalese, da qual provêm vinhos leves e muito saborosos, e Capuccio e Frappato. Nas brancas indígenas, os vinhos de maior potencial e personalidade são elaborados com Catarrato, Inzolia, Grillo e Carricante.  Já entre as variedades internacionais, destaque para a Shyrah e Cabernet Sauvignon, entre as tintas, sem tirar os méritos da Chardonnay, entre as brancas.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags