top of page

Como harmonizar sobremesa e vinho



Dizem que a sobremesa é a melhor parte da refeição, por isso um vinho para harmonizar com ela não pode ser esquecido. Entretanto, a tarefa não é nada fácil. A combinação de doces com o vinho é delicada e requer alguns cuidados, principalmente na escolha dos elementos. As regras para harmonizar são várias. A primeira delas – e talvez a principal – é de que doces nunca devem ser harmonizados com um vinho seco. Outra norma da legislação das sobremesas é que espumantes bruts apenas devem ser servidos como aperitivos, jamais junto com um doce. Tudo é uma questão de equilíbrio, mas um prato doce sempre irá combinar com um vinho licoroso e um prato salgado com um vinho seco. Isso é uma regra que não vai mudar nunca.


De um modo geral, a correta harmonização dos vinhos com os alimentos é influenciada por algumas variáveis, como: a receita, a tradição, os costumes locais e, claro, o gosto pessoal. Isso porque uma sobremesa nunca será igual à outra, mesmo tendo os mesmos ingredientes ela será influenciada pelos fatores acima. Cada receita é diferente, como os vinhos também são. Por isso é difícil harmonizar. A dificuldade está na receita e na escolha de um vinho preciso. Para fazer isso é importante sempre degustar um prato, com o vinho, antes de servir.

Harmonização

Ciente dessa etapa, a técnica de harmonização das sobremesas com os vinhos precisa passar por uma nova fase. É preciso identificar o doce dentro de seis macro-áreas: gorduroso-oleoso; especiaria, aromático-picante; doce-amargo; consistência; concentração; e acidez e sabor. Identificar essas áreas não é fácil, mas aprendido isso meio caminho para a correta harmonização está dado. Até porque, essas áreas irão definir o princípio geral da harmonização por concordância e a combinação por contraposição.


Uma sobremesa quando enquadrada dentro das áreas a que ela pertence, temos que encontrar um vinho doce ou licoroso que vai harmonizar com ela. Existem algumas sobremesas que somente são harmonizadas com vinhos licorosos ou com licores. Por exemplo, um prato simples, a base de massa folhada, irá combinar melhor com um vinho leve, como um moscato; já uma torta de framboesas ou biscoitos de amêndoas e do tipo champagne equilibram com um vinho doce. Um vinho moscato tem gosto de pêra, flores, então irá harmonizar com uma torta de maçã e um espumante rosé eu posso combinar com uma torta de framboesa", explica. É possível também harmonizar por contraposição, ou seja, um prato muito gorduroso combina com algo efervescente para a limpeza da gordura em boca. Com um prato em mãos vamos analisar a característica desse para ver se harmoniza. E ainda pode ser o contrário: analisando um vinho podemos procurar um prato que satisfaça a exigência desse vinho. Mas, sempre equilibrar, pois um vinho não deve superar a sobremesa, nem a sobremesa o vinho.

Depois dessas dicas o melhor é degustar uma boa taça de vinho acompanhada de um doce. Afinal, não existe restrição. Alguém pode achar louco comer doce com um espumante Brut, mas isso não é uma determinação.



Encaixe perfeito

- Chocolates, por se enquadrarem na categoria especiarias, harmonizam muito bem com vermute, vinhos fortificados ou licorosos;

- Cafés bloqueiam o paladar, por isso não sirva antes ou depois de uma sobremesa harmonizada com vinho;

- Sobremesas amargas combinam com vinhos doces naturais;

- É difícil harmonizar doces com elevado nível de acidez ou sabor, saladas frescas, chocolates, sorvetes e doces com base alcoólica (tiramisu, baba ao rum);

- Nunca harmonize frutas frescas com vinhos;

- Sorvetes à base de leite não combinam com vinho;

- Lembre-se: sobremesas brasileiras são mais doces do que em qualquer outro lugar do mundo.


CRÉDITO DA FOTO: www.rosadivini.com


0 comentário
bottom of page